A dubladora Ana Lúcia Menezes morreu nesta terça-feira (20), aos 46 anos. Segundo a também dubladora Beatriz Menezes, filha de Ana Lúcia, a morte foi causada por complicações em decorrência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) que ela sofreu na última terça-feira (13).

Ana Lúcia era conhecida por ter emprestado sua voz na versão brasileira para personagens como a Ahsoka Tano em Star Wars: The Clone Wars, a Misa Amane em Death Note, e a Peppa Pig, além de vários outros.

Em uma publicação no Instagram, a filha compartilhou sua dor:

Você escreveu uma história aqui, e eu terei a obrigação de continuá-la porque sei que seria exatamente como você gostaria que eu fizesse. Você lutou até o último minuto, agora é hora de descansar e usufruir do que Deus preparou para Ti. Eu te amo e sempre te amarei, até a eternidade.

O dublador Guilherme Briggs também se pronunciou em suas redes sociais. Ele estava ajudando na campanha feita pela família para custear a cirurgia e os gastos com hospital.

Ana Lúcia Menezes dublou milhares de personagens, como a Murta Que Geme, de Harry Potter, a Gwen, de Ben 10 e a Lupita, de Rebelde. Ela chegou a ganhar um prêmio de Melhor Dubladora de Anime por Misa Amane, em Death Note. Ela também foi indicada por seu papel como Chihiro, em A Viagem de Chihiro.

Na segunda-feira (19), a dublagem perdeu outro profissional: Carlos Marques, famoso por emprestar sua voz para o Garfield e o Patolino nas versões brasileiras dos anos 1970 e 1980. Ele tinha 88 anos e causa do morte não foi revelada. E na última sexta-feira (16), o dublador brasileiro Dário Castro também morreu, aos 72 anos, vítima da Covid-19.